Psiquiatria Intercultural: Uma Jornada de Descobertas Além das Fronteiras - Expresso Business

Numa jornada repleta de desafios e descobertas, uma profissional do interior da Bahia, vem se destacando nas redes sociais após se posicionar falando sobre psiquiatria intercultural. Polliana Veras Soares, trilhou um caminho incomum rumo à busca do conhecimento na psiquiatria intercultural. Sua história inspiradora nos leva a refletir sobre a importância e os desafios dessa área fascinante da saúde mental.

A psiquiatria intercultural surge como um campo multidisciplinar que busca compreender como fatores culturais, sociais e étnicos influenciam a saúde mental e o tratamento de transtornos psiquiátricos. É nesse contexto que nossa protagonista embarca em sua jornada de autoconhecimento e aprendizado.

Sua trajetória começa em 2007 quando ainda estudante de psicologia, buscou pela aprendizagem além das fronteiras nacionais, participando de estágios em prestigiadas instituições na França, como a Ecole Experimental de Bonneuil e a Clinique de La Borde, que a levou a começar a faculdade de medicina e logo psiquiatria. Nessas experiências, ele se depara com vários desafios e obstáculos diante da diversidade cultural e suas interações com a saúde mental.

Polliana Veras, fala sobre como foi sua jornada e seus desafios tentando buscar o máximo de conhecimentos na área para ajudar pessoas a realizarem seus objetivos uma vez que se propõem a sair do país de origem. Este ano, retorna à Clinique de La Borde após 13 anos, para continuar explorando a diversidade da saúde mental. Sua atuação como professora em uma faculdade de medicina na Argentina, onde habita atualmente, foi um passe inicial para novas descobertas no mercado internacional (dado que Argentina recebe estudantes de toda América do Sul), reafirmando o compromisso em transcender as fronteiras geográficas e culturais em prol da busca pelo máximo de conhecimento sobre a temática. Também realiza uma oficina de adaptação cultural para estrangeiros na cidade de Rosario, Argentina.

Sua história nos lembra da importância de uma abordagem inclusiva e sensível à diversidade cultural na prática psiquiátrica. Ao compreender e respeitar as particularidades de cada indivíduo, podemos construir um mundo onde a saúde mental seja verdadeiramente acessível a todos, independentemente de sua origem ou contexto cultural.

Saiba mais sobre o seu projeto em sua rede social onde ela vem tratando sobre saúde mental e adaptação cultural.

Link instagram: https://www.instagram.com/dra.polliveras?igsh=MWY2Z21kdzZpdWdvcA==

Share.