Seguir gurus da internet é “roubada” para quem quer viver de day trade - Expresso Business

Conselho é dado pelo trader Lucas Gabriel Assis, de Minas Gerais. Para ele, fórmulas ensinadas nas redes sociais só funcionam uma ou duas vezes, depois só resulta em perda financeira

“Fuja dos gurus da internet. A maioria deles só quer pegar o seu dinheiro”. O conselho é do trader Lucas Gabriel Assis, de Belo Horizonte-MG, que atua pela mesa proprietária TC Star Desk. Segundo ele, é preciso ter bastante conhecimento e preparo psicológico para enfrentar as variações do mercado financeiro. Acreditar nas fórmulas ensinadas pelos influencers é um erro porque, na maioria dos casos, não funcionam. Ele ressalta, porém, que a mesma internet disponibiliza cursos sérios, gratuitos e pagos, e plataformas de operação seguras para quem é iniciante.

“Raramente você vai encontrar uma pessoa que esteja verdadeiramente disposta a ensinar como o mercado funciona. Claro que há um ou outro influencer sério, mas a maioria está ali para tomar dinheiro, para vender cursos que funcionam uma ou duas vezes e depois só levam a perdas. Sinceramente”, afirma Assis. Ele comenta que os influencers costumam apresentar aos seguidores indicadores “mágicos” que na verdade falham muito.
“Não existe fórmula mágica. Indicador falha. Eu prefiro trabalhar com base em gráfico, mas ele também falha. Assim, conhecimento e persistência dentro deste mercado é que vão fazer as pessoas terem sucesso”.

Controle emocional

Ao iniciante no segmento, o mineiro aconselha estudar bastante sobre o mercado para só depois começar a operar. Para não ser enganado por influenciadores, ele indica fazer cursos disponibilizados por mesas proprietárias como o TC Star Desk, que são bem técnicos e sem fórmulas mirabolantes. No entanto, para Assis, por mais conhecimento que se tenha, o controle emocional é o mais importante para não fracassar.

“Claro que exige muito estudo. Mas na hora de operar, o mercado é 70% emocional. O restante é técnica, porque técnica é fácil de aprender. Agora, decidir quando não clicar e quando clicar, esse é o problema que exige uma condição psicológica totalmente em ordem”.

Outra dica dada pelo trader é não operar com dinheiro próprio. “Hoje temos a opção de fazer day trade por meio de mesa proprietária. Isso é muito bom, porque o profissional não arrisca o próprio dinheiro. Ele usa o dinheiro da mesa, que assume o prejuízo caso ele ocorra. É uma forma muito interessante de adquirir experiência e calibrar o emocional. Depois de uns meses a pessoa se sente segura o bastante para arriscar seu capital, pois já sabe como gerenciar riscos”, reforça.

Mesa proprietária

Assis conheceu o mercado financeiro em 2020, por meio de um amigo. Mas só começou a operar através da mesa proprietária TC Star Desk em fevereiro deste ano. Com uma história semelhante ao da maioria dos traders, ele arriscou logo que foi apresentado ao setor, praticamente sem conhecimento algum. “Iniciei operando conta real, mas foi uma quebradeira total. Perdi dinheiro, voltei a arriscar e perdi de novo. É que eu meio que operava como se fosse um viciado, mas mercado financeiro não é jogo de sorte e entendi que precisava aprender mais”, conta.

Segundo o CEO da mesa proprietária TC Star Desk, Antonio Marcos Samad Júnior, é preciso estabelecer um plano de operação antes de se aventurar e isso exige conhecimento. O problema é que a pressa e o sonho de ganhar dinheiro rápido faz com que os interessados nesse segmento pulem etapas e percam dinheiro.

“As pessoas reclamam das estatísticas que são desfavoráveis ao day trade, mas elas falham ao se jogarem no mercado sem compreender como ele funciona. É preciso estudar a respeito e, com algum conhecimento, definir uma estratégia de operação. Se der certo e ganhar dinheiro ótimo, mas se ao contrário houver perda, ela estando dentro daquilo que foi estipulado não há problema, porque isso faz parte. Dá para recuperar no dia seguinte. O que não pode é permitir que o prejuízo seja maior do que o estipulado”, explica o executivo.

Samad diz que no começo de sua carreira, há mais de 20 anos, ele também perdeu dinheiro com day trade. Naquela época havia menos informação disponível e o único jeito de operar era por meio de uma corretora e arriscando o próprio capital. Hoje é fácil se informar e há meios de não colocar o próprio dinheiro em risco. “A internet oferece cursos gratuitos e pagos e o surgimento das mesas proprietárias permite operar com o dinheiro da mesa. Assim, o trader aprende, adquire experiência sem correr o risco de ter de assumir o prejuízo”.

Share.